Mais um estudante morto

Durante a 2ª palestra da I Semana de Comunicação da Faculdade Integrada da Bahia (FIB) sobre Assessoria de Comunicação – Responsabilidade Social, abordando a gestão corporativa, soubemos que uma aluna do curso de Jornalismo do turno da noite, tinha sido encontrada morta na Praia do Forte. Como estávamos em palestra, não pude ter a confirmação de nada. Milene do 3º semestre – matutino, disse-nos que seu pai havia ligado para saber se a notícia que acabara de ver na TV, se tratava de alguma colega de sua sala.

Josiane Mamédio, de 23 anos, fazia o 3º semestre a noite. Ela foi assassinada na Linha Verde – estrada que lida Salvador ao litoral norte, por um homem que sua amiga Nadja Silva, também de 23, teria conhecido através de uma sala de bate-papo na Internet. Segundo informa as emissoras de TV e os jornais locais, as duas teriam encontrado o criminoso, Émerson Santos – que seria um ex-tenente da Polícia Militar da Bahia, exonerado por envolvimento em um homicídio -, no estacionamento do Shopping Iguatemi, onde Nadja trabalhava.

As informações ainda são desencontradas. Alguns veículos de comunicação noticiam que a própria Josiane teria comentado a amigos que estava com umpaquera que era tenente da PM e partem de um raciocínio de como as duas não possuíam computador no apartamento que dividiam no Condomínio Colinas de Pituaçu, bairro do Pau da Lima, a própria Josiane teria feito o contato virtual com o assassino, pois tinha disponibilidade de usufruir dos laboratórios da faculdade, como cita o repórter Jorge Lindsay, em matéria publicada no jornal A Tarde, desta quinta-feira, 24 de abril de 2003.

Pela lógica, Josiane, que cursava Comunicação Social numa faculdade com equipamentos à disposição, além de tempo disponível, teria mais condição de acessar a Internet, inclusive, para um possível namoro, do que a amiga Nadja, funcionária de uma butique.  Nadja que foi atingida por três tiros, encontra-se internada no Hospital Geral do Estado (HGE), mas não corre risco de vida. O corpo de Josiane foi transladado para a cidade de Gandu, onde reside sua família. A polícia aguarda agora, a melhora do estado emocional de Nadja para colher seu depoimento e capturar os envolvidos, já que segundo ela, Émerson estaria no carro com mais dois homens, além delas duas.

Esse é o segundo crime bárbaro, envolvendo estudantes da FIB, em menos de um mês. No inicio de abril, o estudante do 1º semestre de Marketing, Enã Motta, de 25 anos, tecladista da banda baiana Mambolada, teria sido jogado da varanda de seu apartamento localizado no 3º andar de um prédio na Avenida Magalhães Neto, bairro da Pituba, após receber dois interessados na compra de um instrumento musical que ele anunciou no jornal.

Um envolvido, também estudante universitário de 28 anos, foi preso e confessou que tentou assaltar o músico com a ajuda de dois bandidos que já tem passagem pela polícia. Ele negou que teria jogado Enã da varando, dizendo que o próprio músico num momento de descuido dos bandidos teria se precipitado e se atirado, numa tentativa de fugir.

Relato aqui esses casos, exigindo das autoridades responsáveis maior rigor e agilidade nas apurações e que com medidas eficazes, coíbam a violência que a cada dia esta mais próxima de nos, nossos amigos, vizinhos, colegas. Até quando teremos que suportar ver famílias serem dilaceradas por bandidos frios e calculistas. Temos de dar um basta nesse situação!

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de rádio e TV, tem experiência com web jornalismo e há 12 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.