Estudo americano revela que risco de ter AVC pode ser hereditário

Segundo estudo da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, os riscos de ter um derrame são maiores entre filhos de pais que já sofreram um AVC – Acidente Vascular Cerebral. De acordo com os pesquisadores, os resultados indicam que o derrame dos pais pode ser um novo fator de risco importante para os derrames. Por isso, os médicos devem estar atentos ao histórico familiar dos pacientes para recomendações preventivas.

A pesquisa incluiu mais de 3,4 mil pessoas inicialmente livres de derrames, dentre as quais 128 sofreram este evento cerebrovascular durante o estudo, assim como 106 pessoas entre seus pais e mães. Os resultados indicaram que as pessoas cujos pais sofreram derrame aos 65 anos de idade tinham duas vezes maiores chances de terem um derrame em qualquer idade, e quatro vezes maior risco de ter esse problema em torno dos 65 anos de idade. Essa relação seria ainda mais forte quando a mãe sofria um AVC e o filho apresentava outros fatores de risco.

O estudo indicou, ainda, que o tipo de derrame sofrido pelos filhos tem uma relação com o derrame dos pais. No decorrer da pesquisa, 74 pais sofreram derrame isquêmico – o tipo mais comum de derrame, resultado de um bloqueio de um vaso sanguíneo no cérebro -, e 106 filhos tiveram este mesmo de derrame.

Fonte: Uol CIência

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de rádio e TV, tem experiência com web jornalismo e há 12 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.