"Quero um amor maior. Amor maior que eu"

Lendo A casa do Rio Vermelho de Zélia Gattai, fiquei pensando quando encontrarei o meu amor. A quem um dia poderei dizer estas palavras, que o nosso querido Jorge Amado testamentou em seu livro Navegação de Cabotagem e que Zélia deu-me a honra de conhecer através da contra-capa de seu livro sobre a residência dos Amado, na Rua Alogoinhas que, em breve, será transformada em Memorial Jorge Amado.

“Dá-me tua mãe de conivência, vamos viver o tempo que nos resta, tão curta a vida!, na medida de nosso desejo, no ritmo de nosso gosto simples, longe das galas, em liberdade e alegria, não somos pavões de opulência nem gênios de ocasião, feitos nas coxas dos apologias, somos apenas tu e eu. Sento-me contigo no banco de azulejos à sombra da mangueira, esperando a noite chegar para cobrir de estrelas teus cabelos, Zélia de Euá envolta no lua: dá-me tua mão, sorri o teu sorriso, me rejubilo no teu beijo, loureal e recompensa. Aqui, neste recanto do jardim, quero repousar em paz quando chegar a hora, eis meu testamento.”

Jorge Amado
em Navegação de Cabotagem, 1992.

Rafael Veloso

Jornalista formado pelo Centro Universitário Estácio da Bahia - Estácio FIB em 2009. É editor do site Rafael Veloso.com.br desde 2003. Atuou em produção de programas de rádio e TV, tem experiência com web jornalismo e há 12 anos trabalha com Assessoria de Comunicação Interna e Externa. E-mail: contato@rafaelveloso.com.br.